Estes 4 hábitos podem te causar a má ingestão

0
105

Embora sejam comuns nas pessoas portadoras de condições crônicas, tal como a doença do refluxo gastroesofágico, esses males podem aparecer em qualquer um que acabou excedendo no prato ou então não deu atenção aos devidos cuidados durante a refeição — mesmo aqueles que adotam uma dieta com equilíbrio.

Veja abaixo 4 dicas para evitar a má digestão e se mantenha atento aos deslizes que podem ocasionar nesse problema:

1. Má ingestão: comer rápido demais

Quando alguém come muito rápido, são cometidos dois grandes erros: não mastigamos corretamente e não damos o devido tempo para o nosso cérebro para que ele perceba que estamos comendo.

“Quando começamos a mastigar, nosso organismo libera uma enzima que facilita a quebra do alimento, iniciando o processo de digestão”, informa o nutrólogo Fernando Bahdur Chueire, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Veja também: Veja estas 4 dicas que te ajudarão a regular o apetite

Desse modo, é indispensável que os alimentos sejam bem triturados antes de engolir, assim a enzima terá tempo de agir, auxiliando no trabalho do estômago e evitando que o órgão passe a ficar sobrecarregado — fator que ocasiona numa digestão mais demorada.

Não só isso, cada refeição precisa ter uma duração de pelo menos 20 minutos.

“Esse é o tempo médio que leva para o intestino liberar o hormônio que ativa o centro de saciedade do cérebro depois que começamos a nos alimentar”, afirma.

2. Manias na mesa

A gastroenterologista Mara Rita Salum, da Unifesp, diz que os órgãos do sistema digestivo se encontram na caixa torácica e, de acordo com a forma como a pessoa se posiciona, eles se comprimem, trazendo uma dificuldade ao processo digestivo, ocasionando a má digestão.

Em função disso, atitudes como comer deitado ou em qualquer posição a não ser a ereta, prejudica de modo direto a digestão.

Você já viu este artigo? O que fazer quando a pressão está alta?

Outra mania comum é falar no momento em que estamos comemos, o que pode elevar a ingestão de ar durante a refeição, podendo trazer problemas vinculados aos gases.

3. Líquidos durante a refeição

“Quando alguém bebe muito líquido enquanto come, o estômago enche mais, podendo causar mal estar devido ao maior tempo de digestão necessário para esvaziar o órgão”, afirma a gastroenterologista Mara.

Ingerir um copo de suco de até 150 ml, contudo, não prejudica de modo significativo na digestão, podendo até tornar mais fácil o processo de mastigação.

Porém a exceção está nas bebidas gaseificadas: elas estimulam a dilatação do estômago, ocasionando numa maior ingestão de comida e afetando negativamente o processo digestivo.

4. Fumo e álcool

Uma vez que ingerimos alguma bebida alcoólica, a substância presente na bebida já é absorvida pelo nosso sistema gastrointestinal, causando irritação das mucosas do esôfago e do estômago e modificando as membranas do intestino, afetando a absorção de nutrientes.

“Os resultados podem ser esofagite, gastrite e até diarreia”, informa o gastroenterologista Ricardo Blanc.

Quanto ao fígado, o álcool mudará a produção de enzimas, causando sobrecarga no órgão. “Ele passa a produzir mais enzimas para metabolizar o etanol, levando a uma inflamação crônica ou hepatite alcoólica, podendo evoluir para cirrose“, diz.

Outro órgão que é prejudicado por causa do excesso de bebidas alcoólicas é o pâncreas, o qual é responsável pela fabricação de insulina e de enzimas digestivas. O álcool traz a chance de provocar uma inflamação no pâncreas, e essa inflamação pode evoluir para uma pancreatite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui